Publicidade
O Avião de Papel | Quando o 2D e 3D se misturam

Posso contar um segredo? Sabe o curta que você vai assistir antes do Detona Ralph começar? O Avião de Papel (Paperman)? Me diz: vc acha que ele foi produzido com uma técnica de animação 3D ou 2D? Digo, computação gráfica ou desenho feito a mão? Bom, por incrível que pareça, o que você assistiu foi um resultado final de estilo 2D com um processo de criação da animação 3D. E olha que não estamos falando sobre aquele óculos que você coloca no cinema, mas sobre um resultado explorado por poucos na produção de animação e que valoriza o estilo clássico de formas e linhas criado pela Disney.

Para produzir o curta, um grupo de animadores da Disney Animation Studios revelou durante a Siggraph 2012 em Los Angeles como foi o processo de criação do curta. De acordo com a equipe, eles precisaram provar que era possível criar uma animação com resultado 2d e com processo 3d, no que consistia em investir numa tecnologia em que pudessem “desenhar” sobre a animação 3d. O objetivo desse processo é valorizar o formato das linhas no estilo Disney que já conhecemos, o que é possível fazer traduzindo em formas 3d, mas não utilizar as linhas que dão os aspecto de animação tradicional “feita a mão”, além de inserir uma textura granulada que ajuda a reforçar o estilo. Logo, fizeram um piloto de uma pequena animação com aproximadamente 30 segundos em que utilizava uma linguagem de programação em que fazia a “mágica acontecer” criada especialmente para o projeto (vocês deviam ver a cara dos animadores que assistiam a palestra na Siggraph 2012, todos queriam comprar esse código de programação). Em seguida, aprovada a animação piloto, partiram para produzir o Paperman, ou O Avião de Papel como conhecemos aqui no Brasil.

Enfim, papo pode parecer um pouco técnico, mas para quem é animador, aspirante a animador ou gosta de assistir e apreciar “como foi feito”, vale a pena conferir o video abaixo (principalmente o smile verdinho nos 2min 25seg):

Comentários